Domingo, 27 de Fevereiro de 2005

Vista panorâmica da cidade de Chaves

11.JPG

Esta foi tirada lá bem do meio do Brunheiro, mais propriamente do Sr. da Esperança, com a veiga em primeiro plano e parte da cidade ao fundo.

publicado por Fer.Ribeiro às 00:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 26 de Fevereiro de 2005

Chaves - Figuras Ilustres

Hoje o Beto, publicava no seu blog uma foto antiga de um trecho da Rua Direita. Precisamente a casa onde Nasceu o Coronel Bento Roma. Nome muito conhecido em Chaves, que dá nome a uma das principais ruas da cidade.

Pois aqui fica a gravura da casa e um pouco de história.

granjo-grav.JPG

CORONEL BENTO ROMA

Bento Esteves Roma nasceu em Chaves em 2 de Janeiro de 1884. Era filho de António Gonçalves Roma, estabelecido na Rua Direita, e de sua esposa Josefina Augusto Esteves, que pertencia a uma família de Vilar de Perdizes.
Até aos onze anos viveu com seus pais, que perdeu pouco depois, deixando de frequentar o colégio de S. Joaquim, do p.e Joaquim Marcelino da Fontoura, e transferiu-se para Amarante com um tio materno, o erudito p.e Augusto Cândido Esteves, que era lá professor do Liceu, onde fez o terceiro ano.
Falecido o seu tio, completou os estudos secundários em Guimarães e Lamego, ingressando em 1903 na Universidade de Coimbra.

Frequentou a Escola do Exército de 1906 a 1908, indo como aspirante para Mafra, sendo promovido a alferes, em 1909 e colocado em Chaves, no R.I. 19.
Era o oficial mais novo da Universidade, em Outubro de 1910, à data da implantação da República, cabendo-lhe a honra de içar pela primeira vez a bandeira do novo regime. Serviu como tenente em Angola de 12-1-1912 a 27-12-1913, comandando vários postos. Voltou a Angola em 1915, procedendo à ocupação de Cuanhama sob comando do Gen. Pereira de Eça, de quem teve um meritório louvor. Em Dezembro de 1916, como capitão, acompanhou para a França a missão da arma de infantaria que foi aperfeiçoar-se junto dos nossos aliados ingleses. Quando teve de bater-se nas primeiras linhas, fê-lo com galhardia, animando os seus camaradas, surpreendendo o inimigo em impensado atrevimento. Em 9-4-1918, em sangrento combate de La Lys, foi prisioneiro dos alemães, sendo no entanto relembrado pela sua valentia. Seguiu-se o cativeiro até o final da vitória dos aliados. Foi promovido a major por distinção. Foi condecorado com várias condecorações, entre elas as três Cruzes de Guerra, a Torre e Espada e Legião de Honra. Volta a Angola em 1920, sendo governador em várias províncias. Em 1930 foi governador de Angola. Faleceu em 23-12-1953 com o posto de Coronel. (Carneiro, Francisco Gonçalves - Temas Flavienses).

Nota: Para quem já viu (hoje) o blog e a imagem publicada com outro texto, é natural, pois o texto foi alterado. Errei e peço desculpas pelo facto, na realidade a casa em causa, é a casa onde nasceu o Coronel Bento Roma e não o Dr. António Granjo, como eu referia no post erradamente publicado. As minhas desculpas e um agradecimento ao Beto (sempre atento às coisas de Chaves) que deu conta do erro.

publicado por Fer.Ribeiro às 01:12
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Praça da República vista do Castelo

p-rep1.JPG

Enquanto a tal base de dados com fotos de Chaves (sugerida nos comentários do último post, com a qual concordo plenamente) não aparece, continuarei a publicar as fotos possíveis da cidade. Esta foi tirada lá bem de cima da Torre de Menagem. As escadas custam a subir, mas uma vez lá em cima, as vistas sobre a cidade pedem mesmo para serem registadas em fotografia.

publicado por Fer.Ribeiro às 01:17
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2005

Agradecimentos

Hoje é tempo de agradecer a todos os visitantes deste blog. Quer sejam flavienses nascidos em Chaves ou flavienses não nascidos cá na terra, aos que gostam da cidade, aos que a visitam, aos amigos de Chaves que visitam o blog, um muito obrigado! Aos que comentam, um duplo obrigado. Um triplo obrigado para o Beto, (esse Flaviense ausente) que além de colega bloguista, (blog do Beto – linkado aqui ao lado) visita e é comentarista de serviço neste blog. Um obrigado a todos e espero que gostem do que vou mostrando cá da terrinha, pelo menos eu esforço-me por isso.

Por último faço um apelo a todos os flavienses que têm blogs ou que conheçam blogs ou páginas sobre Chaves, que me comuniquem (via comentário ou via mail para proart@net.sapo.pt) a fim de os poder linkar neste blog. Então se tiverem fotos antigas cá do burgo e as queiram partilhar, muito melhor (será garantida a citação e o devido agradecimento, caso o pretendam, claro!). Quanto mais divulgada for a cidade mais ela pertencerá à aldeia global, nem que seja só dentro da blogosfera, chegaremos a todo o mundo, a cidade de Chaves merece!

Um abraço para todos e como não poderia deixar de ser, aqui fica mais uma foto do velho casario construído (quase-quase) sob a Ponte Romana.


casario-ponte.JPG

publicado por Fer.Ribeiro às 01:19
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2005

Chaves Antiga ** Largo do Arrabade

39.JPG
Sempre gostei desta fotografia (ou postal) não só por se ver o Arrabalde no seu melhor com o casario de fundo, mas principalmente pela mensagem escrita sobre a mesma " Amor - Não te esqueças de me escrever, Sim!" - Que românticos os flavienses do início do século passado.

De que ano será esta foto? Aqui fica o desafio!

publicado por Fer.Ribeiro às 01:33
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Fevereiro de 2005

Chaves - Vista geral

chaves-vg1.JPG

Indo eu, indo eu a caminho do S.Caetano, parei para descansar. Olhei para a cidade, era ao fim da tarde e ela pediu-me para a fotografar...

publicado por Fer.Ribeiro às 01:54
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 20 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Vista parcial da cidade

telhados.JPG

Mais uma vista sob a cidade.

E hoje, em noite de eleições legislativas, para quem interessar, principalmente os que estão fora do país, recordo os resultados:

PS - 45% - 119 deputados (Maioria absoluta)
PSD - 28% - 73 deputados
CDU - 14 deputados
PP - 12 deputados
BE - 8 deputados

publicado por Fer.Ribeiro às 22:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 19 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Vista aérea

99-ar-cidade1.JPG
Dá gosto andar lá em baixo a pisar as nossas calçadas, mas a cidade também é bonita de ver lá de cima.

publicado por Fer.Ribeiro às 02:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Travessa Cândido Reis

candido.JPG

Ó pra travessa que linda ela é sem carros. As pessoas passeiam nela livremente, as crianças brincam, até o copito no Faustino sabe melhor. É uma travessa cheia de tradições, não só pelo faustino, onde bebedor profissional não poderia deixar de passar, mas também pelo antigo Joaquim das Molas e hoje Biblioteca, onde muitos jovens e não só passam a "cultura" das noites, e se a coisa até der certo, tem hotel ao lado, pequenos almoços às 5 da manhã no Flávia (ou tinha, já não sei!), uma entrada para os menos abastados para o antigo Cine-Teatro, passava-se pelos "Amigos" e subia as escadinhas (se é que ainda atinava). Uma travessa bem atravessada em tudo que é jovem flaviense, onde as passagens de ano (lectivo do liceu) era festejado com muito vinho e racha de bacalhau no Faustino (era, disse bem!). Hoje o Faustino está diferente, e até quase se recomenda, ou melhor - recomenda-se, embora com alguns mas de gerência! podia ser ainda melhor que o recomenda-se. Enfim! um ponto obrigatório (como costumo dizer) de passagem para flavienses e turista ver e apreciar.


publicado por Fer.Ribeiro às 02:01
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2005

Chaves Antiga - Edifício dos Bombeiros V.F. em 1954

bomb.JPG
Passo a transcrever o que diz no verso desta foto " Recordação da visita de Nossa Senhora de Fátima a Chaves em 18 de Maio de 1954"

publicado por Fer.Ribeiro às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2005

Mais uma Vila para o concelho de Chaves

logo.jpg

Mais uma Vila para o concelho de Chaves

Em 9 de Dezembro de 2004 a Assembleia da República aprovou por unanimidade a elevação à categoria de Vila da Povoação de Santo Estêvão. Segundo consta, a sua elevação à categoria de Vila surgiu na sequência dos contributos históricos, localização estratégica e condições sócio-económicos de Santo Estêvão. De referir que outrora foi vila medieval e as suas casas serviram de alcáçovas do castelo e ainda hoje mantém intactas grande parte das características de nobreza. Na área de Santo Estêvão há também vários testemunhos que atestam a existência da povoação já na pré-história.

A titulo de curiosidade o concelho de Chaves conta agora com 1 cidade (Chaves), 2 vilas (Vidago e Santo Estêvão), 135 aldeias e 51 freguesias.

publicado por Fer.Ribeiro às 23:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Chaves - Centro Histórico *** Gravura do Casario da Praça de Camões

casario-pcamoes-grav.JPG

Aqui fica mais uma gravura da nossa cidade. Desta vez o casario da Praça de Camões, do muito casario (interessante) que a cidade de Chaves nos oferece.

publicado por Fer.Ribeiro às 01:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 15 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Praça da República

176-P_REPUBLICA2.JPG

Eis mais uma foto do nosso Centro Histórico. Ponto quase obrigatório de passagem diária de todos os flavienses. Ponto obrigatório de visita para turista ver e já agora, fotografar.

publicado por Fer.Ribeiro às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico ** Liceu de Chaves

liceu.JPG
A minha velha casa e a velha casa de muitos flavienses. O Liceu Nacinal de Chaves, o Liceu Fernão de Magalhães ou como hoje se chama, a Escola Secundária Fernão de Magalhães, mas para todos nós o Liceu.

Hoje aqui fica esta imagem, dedicada a todos os que por lá passaram.

publicado por Fer.Ribeiro às 02:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 12 de Fevereiro de 2005

Chaves Antiga

19.JPG

Segundo me consta, nesta foto do século passado (não arrisco o ano porque não o sei) documenta uma passagem da volta a Portugal em bicicleta, por Chaves.

Para os visitantes deste blog, que gostam de fotos antigas de Chaves (e não só), recomendo uma visitinha ao blog do beto (link mesmo aqui ao lado).

publicado por Fer.Ribeiro às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

UMA RUA DE NÉVOA

nevoa-n.JPG
Contra-capa do livro "Crónica Triste de Névoa"

publicado por Fer.Ribeiro às 01:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

CRÓNICA TRISTE DE NÉVOA

nevoa-bl.JPG

Hoje em vez de uma fotografia de Chaves, deixo-vos muitas fotografias de Chaves, só que traduzidas em palavras por um flaviense, que escreve sobre Chaves.

CRÓNICA TRISTE DE NÉVOA. Esta crónica inicia-se na Feira dos Santos de 1941, quando um homem pretende mudar de vida. É tempo do volfrâmio. E por terras de Trás-os-Montes ele aparece em todo o lado, tal como os pobres, as crianças e os cães.
Depois tudo acontece em Névoa: a visita de um ministro, cinco pragas, uma matança, uma castração, um dilúvio universal, o desbobinar do ultramar, a psicose da emigração, o perigoso sol de Agosto (…) a triste história de juan, do João e do Manuel e ainda outras histórias verdadeiras contadas por uma avó ao seu neto que incluem a hora da catequese, videntes, profecias, adivinhações, fórmulas mágicas para quase tudo, o Rui da Mata, o Frei Toino (…) e por aí fora até ao final, para tudo começar de novo.

A “Crónica Triste de Névoa” que descodificada é a Crónica Triste de Chaves, conta-nos histórias e estórias de Chaves desde 1941 e é escrita por um Flaviense (Barrosão) nascido na aldeia da Torre de Ervededo em 1958 e que os pais quiseram que se chama-se João Augusto Madureira Ferreira e, é professor do 1º CEB licenciado pela UTAD.

Só falta dizer que o livro se encontra à venda no “O Livreiro” em chaves com sítio na net em www.olivreiro.com, um livro que se recomenda a todos os flavienses e não só.

publicado por Fer.Ribeiro às 01:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2005

Chaves - Centro Histórico *** Gravura do Castelo

castelo-grav.JPG

Já agora, fica também a gravura com o castelo a espreitar sobre o edifício do museu e biblioteca municipal.

publicado por Fer.Ribeiro às 23:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Chaves - Centro Histórico ** Torre de Menagem (Castelo)

castelo.JPG

Embora esta foto já não seja inédita (publicada em 35mm.org) não resisto a publica-la neste blog. Acho-a interessante, e como tal aqui fica para partilhar com todos os visitantes do blog.

publicado por Fer.Ribeiro às 23:51
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2005

Curiosidades da Toponímia Flaviense

RUA DO ALVITRE
- Zona: Casa dos Montes
- Limites: Começa no término da Rua de Trás e acaba na Rua de Casa dos Montes.

Um alvitre para esta rua?...
Alvitre, fica bem nesta rua, diz-nos o nosso colaborador Carlos Lopes!
Pois bem, seja a Rua do Alvitre, dissemos nós…

Foto do Largo da Aula de Anatomia

anatomia.JPG


LARGO DA AULA DE ANATOMIA

Zona: Madalena
- Limites: Compreendido entre a Travessa e Rua de S. José e a Rua Cândido Sotto Maior.

Foi neste largo que existiu a Casa dos Arcos, onde funcionava a casa ou corpo da guarda de um quartel de cavalaria, que ali existia.
Em 1789, desta casa da guarda, um despacho a seu respeito, diz: Fazer na Casa da Guarda da Madalena, não só os concertos e reparos... na forma que aponta o referido Cirurgião-Mor, estabelecendo-se nela a "Aula de Cirurgia e Anatomia"...
(Machado, J. T. Montalvão - Arqueologia e História, voI. 8, pág. 141).

A Casa dos Arcos era assim chamada pelo povo, pela razão de a sua frontaria ser suportada por arcos de volta inteira. Ali foi o Hospital de S. José, o qual desde há muitos anos deixou de exercer essa função.

Passou a ser um anexo das unidades militares ou instrução de reservistas, que, de tempos a tempos, se efectuavam.

Passou para a posse da Câmara Municipal de Chaves, e, sob a presidência do Dr. Manuel Maria Vaz, foi proposta e aprovada a sua demolição, em reunião ordinária de 16/7/1953.

In Toponímia Flaviense, Firmino Aires, 1990 CMC

publicado por Fer.Ribeiro às 22:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.links

.arquivos

. Junho 2006

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.favoritos

. Abobeleira em três imagen...

. Solar da família Montalvã...

blogs SAPO

.subscrever feeds